Que dicas importantes encontramos no livro Inteligência Emocional do Daniel Goleman?

Maria Helena Simões de Carvalho

Desde 1995 quando foi publicado, o livro despertou muito interesse justamente por abordar uma nova maneira de pensar a inteligência. Criou impacto na educação e ampliou as abordagens para os perfis profissionais. Um enfoque que destaca quanto é fundamental a consciência das emoções para um bom desempenho em qualquer setor. E, principalmente nos tempos atuais, é importantíssimo compreender melhor estes aspectos.

Assim optamos por trazer alguns pontos para refletirmos, nos perguntando: como acontece “comigo em relação a esse fator”:

Autoconhecimento e autogestão: é a competência para reconhecer sentimentos e pensamentos, administrando-os de forma tranquila e equilibrada. Identificar sentimentos, lidar bem como eles, expressá-los adequadamente, controlar impulsos, reduzir tensão, etc são aptidões emocionais. Como estão as minhas?

Estratégia de regulação emocional: conhecendo-se melhor e conseguindo administrar a seu favor as emoções pode-se buscar motivação positiva, reunindo-se sentimentos de entusiasmo, confiança, partindo para uma obstinação construtiva. Posso dizer que minha regulação emocional é eficaz?

Inteligência emocional (bem desenvolvida): é uma aptidão mestra – uma capacidade que afeta profundamente todas as outras. Quando se consegue negar um impulso a serviço de um objetivo, se consegue canalizar as emoções para um alto desempenho. Porém quando a preocupação sufoca a razão, fica-se sem liberdade de escolha porque a ansiedade solapa o intelecto. Estou sabendo administrar essa aptidão a meu favor?

A esperança é um sentimento que desencadeia uma série de outros sentimentos que impulsiona o individuo para encontrar meios de solucionar problemas. Fica motivado para encontrar saídas e soluções. Inibe o derrotismo. É um sentimento usual em mim?

O otimismo é uma atitude emocionalmente inteligente. A atitude mental de pessimismo conduz ao desespero. O otimismo realista é uma atitude que protege as pessoas da apatia, desesperança ou depressão diante das dificuldades. A vantagem é que se pode aprender otimismo e esperança. Considero-me uma pessoa mais para otimista? Ou pessimista?

Autoeficácia – percepção de que se tem controle sobre os fatos da vida e se pode enfrentar os desafios quando aparecem. Vitórias sobre os desafios aumentam o senso de autoeficácia. Esta atitude torna mais provável usar melhor quaisquer aptidões que se tentar. Já experimentei essa sensação?

Estado de “fluxo” – quando o individuo supera-se em alguma atividade predileta ou atinge o desempenho máximo. É a inteligência emocional em seu ponto mais alto. Ou seja, canalização das emoções a serviço do desempenho e aprendizado. As emoções são positivas, energizadas e alinhadas com a tarefa que se está realizando. Em síntese é atingir o máximo do desempenho ou ir além de limites anteriores. Identifico em mim com maior frequência estado de fluxo ou de contra fluxo?

Quando estamos em fluxo flui uma sensação de alegria espontânea, êxtase. Consciência e atos totalmente fundidos. Perde-se a noção de tempo e espaço. Não há preocupação com sucesso ou fracasso, o que motiva é o puro prazer do ato em si. É viver kairós.

Mesmo uma tarefa árdua é renovadora e restauradora. Há um dispêndio mínimo de energia mental. O estado de fluxo é requisito básico para maestria num ofício ou profissão.

103 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo